Remarketing: a arte do convencimento na web

  1. Home
  2. Blog
  3. Remarketing: a arte do convencimento na web

Quem nunca se sentiu “rastreado” por um produto ou serviço que consultou na web?

A imensa maioria dos internautas de qualquer parte do planeta passou por essa experiência. Hoje em dia, é quase impossível abandonar um site e não ser impactado posteriormente por um anúncio com o produto ou serviço.

Bem, tudo isso não é mera coincidência, mágica ou obra do acaso. Tem nome e se chama REMARKETING!

Tecnicamente falando, Remarketing é uma ferramenta do marketing digital que identifica as pesquisas dos usuários na web, a fim de, posteriormente, apresentar anúncios referentes a essas buscas.

É muito utilizado no comércio eletrônico e primordial no mundo do marketing online especialmente para aumentar vendas. Com a ferramenta, as empresas têm a oportunidade de mostrar ou anunciar novamente o produto ao usuário e aumentar as conversões.

Trata-se, portanto de uma estratégia de convencimento.

Uma rápida olhada nos dados do  Google Adwords é o suficiente para comprovar a tese: apenas 3% dos visitantes faz uma compra de imediato. E cerca de 80% das conversões ocorrem nos primeiros sete dias após o Remarketing, ou seja, após o usuário ser lembrado sobre o artigo que pesquisou ou de receber alternativas.

Outros dados que mostram porque o Remarketing faz toda diferença nas práticas digitais das empresas é o E-commerce Trends.  Já em 2017 havia a constatação de que   o Remarketing viabiliza um aumento de 11,3 vezes nas visitas dos sites, além de permitir um crescimento de 3,1 vezes no número de clientes do e-commerce.

Em suma, o Remarketing impacta novamente o cliente com os anúncios durante um tempo, para que ele avance nas fases da venda e realize a compra.

Planejamento

Parece fácil e muito lógico não é? Afinal, impactar uma audiência maior e muito mais segmentada é bem mais fácil.

Mas como tudo na web, o  Remarketing também requer um plano de ação cuidadoso para atingir consumidores que se encontrem em diferentes estágios do processo de compra.

Isso acontece porque há pessoas que estão conhecendo pela primeira vez determinada loja virtual e considerando comprar, outras estão efetivamente comprando e outras ainda que estão voltando a visitar a página da loja depois de já terem comprado.

Por isso, o remarketing possui um sistema de listas, que divide os consumidores de acordo com as ações que eles realizam no site. Por exemplo: quem apenas visualizou um produto deve receber um Remarketing diferente de quem inseriu um item no carrinho e não concluiu a compra ou de quem realmente comprou.

Sua agência de marketing digital pode criar listas para segmentar estes públicos com você.

Por que Remarketing?

São muitos os benefícios que o Remarketing pode trazer aos negócios. Confira os principais.

1 – Segmentação da Audiência

Conforme explicado acima, o remarketing permite um trabalho muito mais inteligente por parte da empresa, pois possibilita focar em públicos específicos, considerando fatores como dados demográficos ou os interesses apresentados. A possibilidade de segmentação de audiência simplifica também a busca pelos leads que iniciaram a jornada de compra, mas abandonaram o carrinho no meio do caminho.

2 – Aumento das Conversões

 Com um trabalho segmentado, logicamente, as chances de conversão são muito mais elevadas. A empresa volta a atrair pessoas que, em algum momento, se interessaram pelos produtos ou serviços oferecidos.

3 – Custo por clique baixo

Normalmente, as campanhas de Remarketing do Google tem uma taxa de conversão maior do que as campanhas criadas através da rede de display comum. Isso acontece porque o público que é atingido com o remarketing já teve o primeiro contato com o produto ou serviço oferecido, o que aumenta a probabilidade dele executar a ação desejada. Com isso, o custo por clique em uma campanha de remarketing passa ser bem menor que uma campanha de display comum, por exemplo, pois como já dissemos acima, as chances de conversão na categoria remarketing são bem mais altas. 

4 – Exposição da marca

Não custa nada lembrar que quanto mais um cliente potencial estiver exposto à determinada marca, mais probabilidade de compra ele tem. E o remarketing também deve ser visto sob essa ótica.

5 – Melhor ROI

Melhores taxas de conversão, por consequência, geram um retorno mais rápido do investimento e um menor custo por venda.

6 – Orçamento flexível

Como todas as outras ferramentas de publicidade do Google, é possível ter um controle total do orçamento, e obter relatórios robustos que ajudam a tomar decisões inteligentes quanto aos gastos. É possível ainda ver quais sites da rede de display têm o melhor desempenho para otimizar as mensagens e orçamentos para páginas específicas.

7 – Anúncios interativos

Para potencializar ainda mais a ação e aumentar as conversões, vale investir na criação de anúncios e oferecer vantagens específicas aos clientes que, por exemplo, visitam determinada loja virtual, mas não concluíram uma compra. É recomendado, por exemplo, a partir do remarketing, oferecer frete grátis ou descontos.

Formatos de Remarketing

As estratégias de remarketing podem ser executadas de três formas principais: a rede de display, o Facebook, a maior rede social do mundo e a e a rede de pesquisa do Google.

Rede de Display do Google

– A Rede Display é um conjunto de mais de 2 milhões de Websites, vídeos e aplicações onde pode apresentar os seus anúncios do Google Ads. Os sites da Rede de Display alcançam mais de 90% dos utilizadores da Internet a nível mundial.
Os usuários podem ver os anúncios de Remarketing à medida que navegam em sites que fazem parte da Rede Display ou, ao pesquisarem por termos relacionados – aos do site que ela acabou de visitar – na página de buscas do Google (Rede de Pesquisa).

Nesse formato, o anunciante escolhe como quer pagar pela veiculação, se é pelo número de cliques no anúncio (CPC) ou de acordo com o número de vezes que ele é exibido (CPM). Além disso, os anúncios da rede display tendem a ser mais interativos e chamam bastante a atenção dos usuários.

Rede de Pesquisa do Google

– A utilização da Rede de Pesquisa no Remarketing é mais recente que a utilização na Rede de Display. Surgiu para reforçar a venda no instante em que o usuário está pesquisando novamente por aquele mesmo tema.
Ao contrário dos anúncios de display, os anúncios da rede de pesquisa aparecem diretamente na página de resultados. Além da própria página de pesquisa do Google, os anúncios são exibidos em outras ferramentas da empresa também, como o Google Maps e o Google Shopping, além dos demais sites parceiros que integram a rede.

Os anúncios dessa rede tendem a ter maiores taxas de conversão, pois aparecem quando o  produto ou serviço estiver relacionado com as palavras-chaves que o usuário está utilizando para resolver a sua dúvida ou problema.

Facebook

– O Facebook é uma das melhores plataformas para se anunciar e o terceiro site mais visitado do mundo. Os usuários que passam diariamente cerca de 10 min navegando na rede social deixam lá todas as informações possíveis, como: o que gostam de fazer, locais que visitaram, itens que gostam de comprar ou possuem interesse, estado civil e outros.
Desta forma, fica mais fácil para o anunciante segmentar exatamente qual perfil de público ele deseja impactar com os seus anúncios.

No Facebook, o Remarketing funciona de maneira muito similar à Rede display. Os anúncios na também costumam ser mais interativos e criativos, o que traz bons resultados para empresas de qualquer porte.

Quer saber mais sobre campanhas de Remarketing e como utiliza-lo para fortalecer o eu negócio? A Agência Influência pode ajudar. Converse com a equipe e conheça todos os serviços.

Anterior
Alcance, impressão e engajamento nas redes sociais
Próxima
Diferenças entre Facebook, Instagram e Linkedin para os negócios
Menu